domingo, 21 de dezembro de 2014

Novena de Natal - 7º Dia

Introdução

Neste sétimo dia da novena de Natal, a liturgia nos apresenta o canto do Magnificat, para nos ajudar a preparar para o nascimento do Senhor Jesus. A atitude de Maria com este canto é um programa de vida, um reconhecimento da presença e da ação de Deus em nossa vida.

Neste tríduo que antecede o Natal e o fim do ano, esta atitude de gratidão e reconhecimento deve ser o que caracteriza nossa relação com o Senhor e com os demais.


Sétimo dia

Motivação:

:: Neste sétimo dia da novena de Natal, continue preparando o presépio. Depois de ter colocado a imagem de Maria, de José, do estábulo, da manjedoura, dos pastores, colocar as ovelhas, demonstrando como cada um deve louvar e bendizer a Deus, desde o que tem e faz.

:: Que cada um faça uma oração, louvando e bendizendo ao Senhor pela própria vida, pela família, pelo trabalho, pela saúde, pelo que cada um tem e pelo que falta também.

:: Fazer algum gesto concreto de gratidão e agradecimento. Ser capaz de dizer aos que o rodeiam: “”obrigado por…” Fazer o mesmo na família. Expressar a gratidão com um abraço, um gesto, uma ligação; ser capaz de dizer ““obrigado””.

Oração Inicial

:: Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém!

Maria, Virgem Grávida, Mulher de Deus, Virgem do ‘sim’ fecundo. Tu que fecundaste ao Verbo de Deus e o levaste em teu seio durante nove meses, sentindo-O palpitar e crescer dentro de ti, experimentando Sua presença e sendo transformada por Ele.

Nestes dias que antecedem o nascimento de teu Filho, nós queremos acompanhar-te; queremos estar contigo para aprender de ti a levar Deus no coração e nos deixarmos transformar por Sua presença.

Maria, Virgem Grávida, pedimos-te que, ao acompanhar-te, sejas tu quem interceda por cada um de nós, para que possamos celebrar o Natal cheios da presença de teu Filho em nossa vida. Maria, Virgem Mãe, mulher da espera confiada, pede por nós para que, neste Natal, todos possamos ficar mais perto de seu Filho, e assim sermos capazes de recomeçar, de perdoar e ser perdoados, de voltar a amar, e ser curados interiormente, para celebrar e viver a vida de Deus em nós.

Maria, Virgem do ‘sim’ e da realização, Virgem Mãe do silêncio eloquente, ajuda-nos a celebrar este Natal, tendo seu Filho como o centro de nossa vida. Maria, pede por nós, agora e sempre.

Que assim seja.

Leitura: Lc 1, 46-56

Aprofundar-se no Evangelho. Ler a Palavra e deter-se nela. Ver os detalhes dos personagens. Fazer uma leitura gastando tempo para conhecê-la, escutando o Senhor.

Contemplação

É buscar apropriar-se do texto, não olhá-lo com expectador, mas ser participante da cena. Ter uma relação pessoal e direta com os personagens. Usar a imaginação para conhecê-los e aprofundá-los interiormente.

Oração: Obrigado, Maria, por ser sensível à manifestação do Senhor em tua vida. Graças por reconhecer o que és e por dar ao Senhor o lugar que Lhe corresponde em tua vida. Obrigado por dizer que o Senhor foi quem fez em ti maravilhas. Obrigado por deixar que Ele fizesse em ti o que fez. Obrigado por confiar e crer n’Ele. Obrigado por mostrar-nos como o Senhor atua e tem atuado na história, como está do lado dos que n’Ele confiam, e como se enfrenta o soberbos e orgulhosos, os egoístas e os prepotentes. Obrigado por dar-nos a confiança de que o Senhor levanta os humildes e os famintos. Maria, intercede por nós para que possamos fazer como tu fizeste, para ter os sentimentos que tu tivestes, para deixarmo-nos conduzir e ser cheios do Senhor como tu foste.

Que assim seja.

Oração: Senhor Jesus, Tua mãe soube reconhecer e manifestar Tua presença nela e na história, e por ter tido a sensibilidade de nos relatar como Tu atuas, o que Te agradas, quem são os Teus privilegiados. Senhor, faz com que aprendamos dela a reconhecer a Tua presença em nosso dia a dia, que possamos descobrir-Te em cada acontecimento, e sabendo como és, como ages, o que gostas, saibamos confiar e esperar em Ti, Senhor, assim como Tua mãe, que reconheceu tudo o que o Pai fez nela. E que, da mesma maneira, possa atuar e saber que sem Ti não sou nada, e que és Tu quem faz tudo em mim.

Que assim seja.

Oração Final

Menino Jesus, assim como Tua Mãe, vimos a ti para Lhe agradecer e bendizer-Te por tudo o que fazes em nós e por nós. Agradecemos-Te e bendizemos, porque quisestes nos redimir a partir de nossa própria natureza, porque se fizeste um de nós, sendo Tu em tudo semelhante a nós, menos no pecado, porque, assumindo nossa vida, nos deste vida com Tua vida.

Damos-Te graças e Te bendizemos, porque com Teu nascimento dignificaste nossa natureza, nos mostrastes o quanto é sagrada a vida, porque dignificastes a mulher, nascendo Tu mesmo de Maria Virgem. Glorificamos-Te, porque, com Teu nascimento, nos dás fortaleza e alegria, nos enche de gozo e consolo, nos faz renascer na esperança, nos mostras que Tu estás conosco. Bendito e louvado sejas, porque és o Deus que vive e nos dá a vida, que nos conheces por dentro e que nos enche de amor. Bendito e louvado sejas por Teu nascimento e por Tua vida e redenção. Bendito e louvado sejas hoje e sempre!

Canção Nova / Pastoral da Comunicação da Paróquia de Sant'Ana - http://matrizdesantana.blogspot.com.br/

Evangelho Dominical: Eis aqui a serva do Senhor!

O anjo entrou onde ela estava e disse: “Alegra-te, cheia de graça! O Senhor está contigo! [...] Encontraste graça junto a Deus. Conceberás e darás à luz um filho, e lhe porás o nome de Jesus. Ele será grande; será chamado Filho do Altíssimo, e o Senhor Deus lhe dará o trono de Davi, seu pai. Ele reinará para sempre sobre a descendência de Jacó, e o seu reino não terá fim. [...] O Espírito Santo descerá sobre ti, e o poder do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra. Por isso, aquele que vai nascer será chamado santo, Filho de Deus”. [...] Maria disse: “Eis aqui a serva do Senhor! Faça-se em mim segundo a tua palavra”. E o anjo retirou-se. Lc 1, 26-38

Maria experimenta Deus vivendo nela

Davi queria construir um templo para abrigar a arca da Aliança. Através da arca, que continha as tábuas da Lei, o povo experimentava a presença de Deus. Sobre a sua intenção de construir referido templo, ele consulta o profeta Natã, o mesmo que denunciou o grave pecado do rei. No entanto, a resposta de Natã a Davi não agradou a Deus: “realiza o projeto que tens no coração”. Deus faz Natã voltar atrás e comunicar a Davi o que Ele deseja. Deus não é prisioneiro de nossos projetos nem tampouco de nossos caprichos. Davi invertia a ordem das coisas: não era ele o benfeitor de Deus, mas Deus quem era o benfeitor de Davi. O mal de Davi era a sua vaidade. Se Deus, à época, rejeita para si um santuário, é porque o seu Filho, encarnado para a salvação de toda a humanidade, será o lugar de sua habitação.

Na tradição da Igreja, a “arca da Aliança” é Maria, pois ela carregou no seu próprio seio a Palavra encarnada do Pai. Se Maria é a arca, Jesus é, como dissemos acima, o “Templo” no qual Deus habita e é encontrado. Nesse “Templo” não há o véu que esconde o rosto de Deus, pois Ele é a imagem do Deus invisível (Cl 1,15). Estando diante dele, se está diante de Deus (cf. Jo 14,9). O texto do anúncio do anjo a Maria é surpreendente. É Deus quem toma a iniciativa de vir ao encontro do ser humano para fazê-lo participar da obra do seu amor. O relato, tomado no seu conjunto, mostra que Deus vai manifestando e fazendo compreender o seu projeto de amor num diálogo permanente com o ser humano. É em nossa história pessoal que Deus trava um diálogo conosco, como fez com Maria, para nos dar a possibilidade de participar de sua própria vida. Gerando, segundo a carne, o Filho de Deus, Maria experimenta Deus vivendo nela, e ela se experimenta participando da vida divina. No dinamismo da encarnação, em que a criação chega à sua plenitude, Deus quis contar com o ser humano. Nem a esterilidade de Isabel nem tampouco a virgindade de Maria foram impedimentos para que Deus cumprisse a sua palavra. A liberdade do ser humano poderia ter sido um impedimento. No entanto, em Maria, ícone da Igreja, Deus encontra o “sim”, a adesão humana necessária para que o seu Verbo tivesse uma existência histórica, como membro de um povo.

Pe. Contieri - Paulinas / Pastoral da Comunicação da Paróquia de Sant'Ana - http://matrizdesantana.blogspot.com.br/

sábado, 20 de dezembro de 2014

Novena de Natal - 6º Dia

Introdução

Neste sexto dia da nossa novena de Natal, o Evangelho de Lucas nos relata a visitação a Isabel. Maria parte apressadamente, sem demora, ao encontro de sua prima que necessitava de ajuda. A disponibilidade e o desprendimento da Virgem Maria são as atitudes que a Igreja nos propõe para meditar neste dia.

Voltemos nosso olhar para a atitude de Maria para vermos como estamos vivendo com aqueles que estão ao nosso lado.


Sexto dia

Motivação:

:: Neste sexto dia da novena de Natal, seguir preparando o presépio. Depois de ter colocado a imagem de Maria, de José, o estábulo, o berço, a vaca e o burro, colocar agora os pastores, manifestando como eram as pessoas sensíveis e humildes que acompanharam o Senhor em seu nascimento.

:: Que cada um coloque sua vida e a vida de toda família nas mãos do Menino Deus, para que Ele nos encha de Suas bênçãos e graças.

:: Faça algum gesto ou atitude de sensibilidade e solidariedade. Vá ao encontro das pessoas que sabemos necessitar de alguma ajuda, seja material ou espiritual. Sem que nos peçam, ofereçamos nossa presença e nossa solidariedade.

Oração Inicial

:: Sinal da Cruz

Maria, Virgem Grávida, Mulher de Deus, Virgem do ‘sim’ fecundo.

Tu que fecundaste ao Verbo de Deus e O levaste em teu seio durante nove meses, sentindo-o palpitar e crescer dentro de ti, experimentando Sua presença e sendo transformada por Ele.

Nestes dias que antecedem o nascimento de teu Filho, nós queremos acompanhar-te; queremos estar contigo para aprender de ti a levar Deus no coração e deixarmo-nos transformar por Sua presença.

Maria, Virgem Grávida, nós te pedimos que, ao acompanhar-te, sejas tu quem interceda por cada um de nós, para que possamos celebrar o Natal cheios da presença de teu Filho em nossa vida. Maria, Virgem Mãe, mulher da espera confiada, pede por nós para que, neste Natal, todos possamos ficar mais perto de seu Filho, e assim sermos capazes de recomeçar, de perdoar e ser perdoados, de voltar a amar, e ser curados interiormente, para celebrar e viver a vida de Deus em nós.

Maria, Virgem do ‘sim’ e da realização, Virgem Mãe do silêncio eloquente, ajuda-no a celebrar este Natal, tendo seu Filho centro de nossa vida. Maria, pede por nós agora e sempre.

Que assim seja.

Leitura: Lucas 01, 39-45

Aprofunde-se no Evangelho. Leia a Palavra e detenha-se nela. Veja os detalhes dos personagens. Faça uma leitura, gaste tempo para conhecê-la e escute o Senhor. Veja a atitude de Maria e de Isabel, o que fazem, o que dizem, como se relacionam.

Contemplação

É buscar apropriar-se do texto, não olhá-lo com expectador, mas ser participante da cena. Ter uma relação pessoal e direta com os personagens. Usar a imaginação para conhecê-los e aprofundá-los interiormente.

Oração: Maria, minha mãe, agradeço-te por teu testemunho, por teu exemplo, por tua prontidão e disponibilidade em estar atenta às necessidades de quem necessitava da tua ajuda. Agradeço por tua atitude de serviço e entrega, porque não duvidaste nem demoraste a se fazer presente. Agradeço por ter sido capaz de se desinstalar para ser sensível e solidária com Isabel. Maria, tu que sabias estar junto a quem necessitava de tua presença, tu que nos mostra como viver a vida, vem nos acompanhar nestes dias que nos preparamos para o nascimento de teu Filho. Vem, Virgem Santa, ajudar-nos a colocar nosso coração para receber teu Filho.

Que assim seja.

Oração: Menino Jesus, quando tua Mãe chegou na casa de Isabel, João saltou de alegria em seu ventre e ela fez uma profissão de fé reconhecendo que era você quem a visitava, chamou sua mãe de ‘A Mãe do meu Senhor’. Agora, também nós queremos te dar um espaço em nossa vida, pretendemos que você venha e que tenhas um lugar especial. Por isso Senhor, pedimos-te que nos ajude a tomar consciência do significado de teu nascimento, da grandeza desse acontecimento. Ajuda-nos a valorizar Teu gesto de amor e que, este Natal, seja um tempo de profundo reconhecimento e ação de graças por tudo o que significa e o Senhor nasça em nosso meio. Dê-nos de presente a graça de valorizar e reconhecer Teu gesto salvador nascendo de mulher e sendo um de nós. Ajuda-nos para que neste Natal, o Senhor seja o centro de nossa celebração.

Que assim seja.

Oração Final

Maria, Virgem Mãe de nosso Senhor, levou o Deus da vida em tuas entranhas e Lhe deu vida humana. Sendo a Mãe de Deus, tu sabes ser serviçal e atenta às necessidades de tua prima Isabel, por isso, ajuda-nos a saber, ver e ser sensíveis às necessidades dos que nos rodeiam, a sermos capazes de renunciar a nós mesmos e ir ao encontro dos demais. Ajuda-nos a sermos generosos em nosso tempo e com nossos bens para ajudar aos que necessitam, para que, como a Senhora, estejamos disponíveis e abertos para nos dar aos demais. Maria, Virgem Mãe, que saiamos apressadamente sem demora, prontamente, ao encontro dos que necessitam de nossa ajuda. Maria, que levemos Jesus e sejamos mensageiros da alegria e da paz, consolo e fortaleza, ajuda e solidariedade, para que, neste Natal, muitos possam reconhecer o teu Filho como Deus e Senhor, e que você seja hoje e sempre: “ a Mãe de nosso Senhor” e nossa Mãe.

Canção Nova / Pastoral da Comunicação da Paróquia de Sant'Ana - http://matrizdesantana.blogspot.com.br/

Missa campal reúne centenas de fiéis na décima edição do Natal Solidário - Paróquia de Sant’Ana

Há dez anos, iniciativa solidária é sinônimo de partilha e comunhão entre os fiéis bonjardinenses

A ação conjunta entre os Movimentos Mãe Rainha e Apostolado da Oração, aliada à generosidade da população bonjardinense, resultou, na noite da última quinta-feira (18), na Praça Frei Damião, num grandioso momento de celebração da solidariedade. O Natal Solidário, coordenado pela Profª. Miriam Arruda e equipe, é uma iniciativa anual que mobiliza todos os paroquianos em prol das famílias carentes de Bom Jardim, incentivando a população ao exercício constante da caridade.


Segundo Pe. Elias Roque (Pároco), presidente da celebração, para alcançar uma vivência autêntica e indissolúvel da fé são necessárias ações concretas de cunho prático, alicerçadas na edificadora Palavra de Deus.

“Celebrar o Natal é reascender em nós a esperança de um mundo mais unido e fraterno, onde as famílias retomem o caminho proposto pelo Senhor. Hoje, existem diversos agentes que colaboram para a desestruturação do círculo familiar, acometendo os seus membros e afastando-os de uma prática qualitativamente cristã. Irmãos, este gesto de partilha, através do Natal Solidário, é um sinal frutuoso das graças de Deus em nossa comunidade, que nos aproxima do Seu amor incondicional. É algo que não pode ser vivido apenas neste período do ano. Devemos repeti-lo diariamente! Partilhar com aquele que necessita é uma das lições mais importantes que o Natal do Senhor pode nos transmitir”, salientou Pe. Elias Roque.

A celebração, animada pelo coral do Grupo Terço dos Homens e concelebrada pelo Pe. Jorge Sousa (Vigário Paroquial), foi concluída com a distribuição de 250 cestas de donativos entre as famílias cadastradas. “Agradeço a todos que, generosamente, colaboraram em mais uma edição da Campanha Natal Solidário. É sempre muito gratificante compartilharmos um pouco com os nossos irmãos que necessitam de um gesto de solidariedade, para que venham celebrar o Natal com mais esperança, fé e amor”, concluiu Miriam Arruda, coordenadora do Natal Solidário.


Por Bruno Araújo / Pastoral da Comunicação da Paróquia de Sant’Ana – http://matrizdesantana.blogspot.com.br/

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Novena de Natal - 5º Dia

Introdução

Este quinto dia de preparação para o Natal está centrado na pessoa de Maria, em sua atitude, em sua docilidade, em sua abertura à ação de Deus. Ante a manifestação do Senhor, a Virgem soube responder e corresponder ao projeto de Deus para ela. Vendo a disposição e abertura de Maria, que cada um veja como está respondendo ao Pai em sua vida e, assim, nestes dias que antecedem o Natal, possamos nos preparar interiormente para o nascimento do Senhor em meio a nós.


Quinto dia

Motivação:

:: Neste quinto dia da novena de Natal, continue preparando o presépio. Depois de ter colocado a imagem de Maria, de José, de ter posto o estábulo e a manjedoura vazia, colocar a vaca e o burro, aqueles que estiveram acompanhando o nascimento do Filho de Deus.

:: Que façamos uma oração de abandono e confiança no Senhor, agradecendo o ‘sim’ de Maria e colocando-nos nas mãos d’Ele, para que faça em nós Sua vontade.

:: Façamos algum gesto concreto durante o dia. Que seja um dia de ação de graças e abandono nas mãos do Senhor, para que Ele realize em cada um de nós Sua obra salvífica.

Oração Inicial

:: Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém!

Maria, Virgem Grávida, Mulher de Deus, Virgem do ‘sim’ fecundo. Tu que fecundaste ao Verbo de Deus e O levaste em teu seio durante nove meses, sentindo-O palpitar e crescer dentro de ti, experimentando Sua presença e sendo transformada por Ele.

Nestes dias que antecedem o nascimento de teu Filho, nós queremos acompanhar-te; queremos estar contigo e aprender de ti a levar Deus ao coração e deixarmo-nos transformar por Sua presença.

Maria, Virgem Grávida, pedimos-te que, ao acompanhar-te, sejas Tu quem interceda por cada um de nós, para que possamos celebrar o Natal cheios da presença de teu Filho em nossa vida. Maria, Virgem Mãe, mulher da espera confiada, pede por nós para que, neste Natal, todos possamos ficar mais perto de seu Filho, e assim sermos capazes de recomeçar, de perdoar e ser perdoados, de voltar a amar, e ser curados interiormente para celebrar e viver a vida de Deus em nós.

Maria, Virgem do ‘sim’ e da realização, Virgem Mãe do silêncio eloquente, ajuda-no a celebrar este Natal, tendo seu Filho centro de nossas vidas. Maria, pede por nós, agora e sempre.

Que assim seja.

Leitura: Lucas 1, 28-38

Aprofundar no Evangelho. Deter-se na atitude de Maria, em sua reação, no que diz, no que faz, no que sente em sua resposta.

Contemplação

É buscar apropriar-se do texto, não olhá-lo com expectador, mas ser participante da cena. Ter uma relação pessoal e direta com os personagens. Usar a imaginação para conhecê-los e aprofundá-los interiormente.

Oração: Maria, Virgem Mãe, bendita sejas por haver acreditado no Senhor, por haver posto em suas mãos, por haver permitido que o Ele realizasse em ti o Seu projeto e Sua obra. Bendita, Maria, por ter nos ensinado como responder ao Senhor, por nos ter mostrado que a fé se vive abrindo o coração para que o Senhor atue em cada um de nós. Maria, neste tempo de preparação para o Natal, intercede por cada um de nós, para que como tu, possamos também nós dizer ao Senhor o nosso ‘sim’, faça-se”, para que Ele realize o Seu projeto de amor em cada um de nós.

Oração: Senhor, nós te damos graças pelo testemunho e o exemplo que nos deixaste de tua mãe Maria. Graças Senhor, porque Maria nos mostra a maneira de viver nossa vida de fé. Senhor, te pedimos que tu nos ajudes a ter as mesmas atitudes de Maria. Faz Senhor que creiamos, que confiemos em Ti, que nos deixemos guiar pelo teu Espírito Santo, para que tu possas realizar em nós a Tua obra salvadora. Senhor, ajuda-nos a viver o que Tu nos pede, e que sempre com alegria e confiança Te digamos: “que se faça em mim Tua palavra, Tua vontade”.

Que assim seja.

Oração Final

Maria, minha mãe, tu que soubeste responder ao Senhor, que lhe abriste o coração para que fizesse em ti Sua obra, para que te enchesse de Seu Espírito Santo e te transformasse interiormente, para ser instrumento seu para que seu Filho viesse ao mundo, te pedimos que intercedas por nós e que peças ao Senhor que também nos transforme interiormente, para que também nós saibamos dizer-lhe: “Sim, faça-se em mim segundo tua Palavra”.

Maria, ajuda-nos a ter teus sentimentos, ajuda-nos a confiar sempre no Senhor, a desejarmos ser inundados por sua presença, por seu Espírito Santo. Maria, pede por nós e ensina-nos a deixar nossa vida nas mãos de teu Filho e que Ele nos faça instrumentos dóceis de sua presença para os demais. Maria, que como tu, sempre digamos ao teu Filho:
Sim, faça-se em mim segundo tua Palavra.

Canção Nova / Pastoral da Comunicação da Paróquia de Sant'Ana - http://matrizdesantana.blogspot.com.br/

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Novena de Natal - 4º Dia

Introdução

Neste quarto dia da nossa preparação para o Natal, a liturgia nos introduz a experiência de Zacarias e o anúncio do Nascimento de João Batista. É um texto que devemos considerar em relação e em contraposição à anunciação a Maria, um ajuda o outro a adquirir seu justo significado. De um lado, a atitude de dúvida e desconfiança de Zacarias; por outro, a atitude de abertura e docilidade de Maria.

Que o testemunho de Zacarias nos ajude a aprofundar a atitude que devemos ter ante o Senhor.


Quarto dia

Motivação:

:: Neste quarto dia da novena de Natal, siga preparando o presépio. Depois de ter colocado a Imagem de Maria e José, de ter posto o estábulo, colocar a manjedoura vazia. Manifestar a falta de algo, o protagonista principal, sem o qual não pode haver Natal.

:: Que cada um faça uma oração ao Menino Deus, convidando-o a que venha logo encher nosso grupo, nossa família, nossa sociedade com Sua presença. Que, neste Natal, Ele seja o centro da nossa celebração.

:: Fazer algum gesto ou atitude concreta durante o dia. Se você conhece alguma pessoa do bairro ou da comunidade que tenha deixado o grupo ou que tenha mudado de religião, chame-a para partilhar, interesse-se pelo que ela está vivendo e sentindo. Deseje-lhe um ‘Feliz Natal’.

Oração inicial

:: Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém!

Maria, Virgem Grávida, Mulher de Deus, Virgem do ‘sim’ fecundo. Tu fecundaste ao Verbo de Deus e O levaste em teu seio durante nove meses, sentindo-O palpitar e crescer dentro de ti, experimentando Sua presença e sendo transformada por Ele.

Nestes dias que antecedem o nascimento de teu Filho, nós queremos acompanhar-te; queremos estar contigo para aprender de ti a levar a Deus no coração e nos deixar transformar por Sua presença.

Maria, Virgem Grávida, pedimos-te que, ao acompanhar-te, sejas tu quem interceda por cada um de nós, para que possamos celebrar o Natal cheios da presença de teu Filho em nossa vida. Maria, Virgem Mãe, mulher da espera confiada, pede por nós, para que, neste Natal, todos possamos ficar mais perto de teu Filho, e assim sermos capazes de recomeçar, de perdoar e ser perdoados, de voltar a amar e ser curados interiormente, para celebrar e viver a vida de Deus em nós.

Maria, Virgem do ‘sim’ e da realização, Virgem Mãe do silêncio eloquente, ajuda-nos a celebrar este Natal, tendo seu Filho como centro de nossa vida. Maria, pede por nós, agora e sempre.

Que assim seja.

Leitura: Lucas 01,12-20

Aprofundar o texto. Ler várias vezes, saborear a palavra, deter-se nela. Ver os detalhes dos personagens. Fazer uma leitura gastando tempo para escutar o Senhor. Ver a atitude de Zacarias, suas dúvidas, sua desconfiança, o que o Senhor espera dele.

Contemplação

É buscar apropriar-se do texto, não olhá-lo com expectador, mas ser participante da cena. Ter uma relação pessoal e direta com os personagens. Usar a imaginação para conhecê-los e aprofundá-los interiormente.

Oração: Senhor, é curioso ver o que fizeste com Zacarias, como não Te agradou o fato de ele ter duvidado de Ti e, por isso, o deixaste mudo, como lhe dera um tempo para que visse sua atitude. Sabes, Senhor, melhor que continue agindo assim, porque, senão, nossa situação será bem difícil. Em lugar de nos castigar, dá-nos sede de Ti; em vez de nos deixar mudos como Zacarias, faz com que desejemos conhecer-Te, estar contigo e deixar nossa vida em Tuas mãos. Senhor, dá-nos Tua graça para respondermos ao que Tu nos pedes, como Tu nos pedes.

Senhor, em algumas circunstâncias, faço como Zacarias, duvido e desconfio de Ti, como não entendo o que me acontece. Há coisas que me fazem desconfiar de Tua presença junto a mim. Muitas vezes, não o encontro nos acontecimentos do meu dia a dia, e isso me deixa muito triste, porque não consigo ver Tua presença em algumas coisas que vivo. Por isso, Senhor, peço-Te que, neste Natal, o Senhor me dê um coração aberto e sensível à Tua presença em minha vida. Que eu possa reconhecê-Lo a cada momento em meu dia a dia e que possa interpretá-la de acordo com a Tua vontade e Teu amor.

Oração Final

Menino Jesus, Tu que vieste compartilhar a nossa vida, Tu que quiseste se fazer um de nós, em tudo igual a nós, menos no pecado. Tu que nos conheces e sabes o que somos, olha nossa vida, nossas dificuldades, nossas dúvidas, nossos medos, nossa dor e nossas penas, e vem nos ajudar, nos consolar, vem dar-nos a graça para encontrarmos em Ti a paz, a alegria e a esperança. Menino Jesus, neste Natal, ajuda-nos a crer e confiar mais em Ti, ajuda-nos a deixarmo-nos conduzir por Ti, a esperar por Tuas promessas, e que sejamos dóceis à Tua ação. Menino Jesus, que, em nossas famílias, cresçamos na confiança e na segurança, que saibamos dar espaço à outra pessoa, que acreditemos nela, que a valorizemos, que a queiramos assim como Tu a queres. Menino Jesus, faz com que, neste Natal, cada um de nós saiba perdoar quem nos feriu e que isso seja curado pelo amor mútuo. Menino Jesus, ajuda-nos a viver a alegria do teu nascimento.

Canção Nova / Pastoral da Comunicação da Paróquia de Sant'Ana - http://matrizdesantana.blogspot.com.br/

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Novena de Natal - 3º dia

Introdução

Neste terceiro dia da Novena, em que nos preparamos para o Natal, a liturgia nos apresenta o texto da Anunciação a José, uma passagem cheia de significado teológico e de dignidade pessoal. O testemunho deste homem justo e nobre é eloquente, e, por sua vez, comprometedor. É um projeto de vida para imitar sua nobreza pessoal e sua docilidade de espírito para deixar-se conduzir pela ação do Espírito em sua vida.

Que o testemunho de José nos ajude a olhar nossa atitude no casamento e na família, e que ele nos ajude a nos aproximarmos mais do Senhor.


Terceiro dia

Motivação:

:: Neste terceiro dia da novena de Natal, siga preparando o presépio. Depois de ter colocado a imagem de Maria e de José, nesta oportunidade colocar o estábulo, significando a rejeição que tiveram em Belém.

:: Que cada um faça uma oração de perdão e ajuda, pedindo a intercessão de José e de Maria pelos casais que estão em conflito e dificuldades, para que, neste Natal, possam começar uma nova vida.

:: Faça algum gesto ou atitude concreta durante o dia. Se o casal estiver em conflito, que seja capaz de se aproximar e buscar o diálogo; se não houver necessidade disso, que ajude outros casais em situação difícil, seja instrumento de paz e reconciliação aos demais.

Oração Inicial

:: Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém!

Maria, Virgem Grávida, Mulher de Deus, Virgem do ‘sim’ fecundo. Tu que fecundaste ao Verbo de Deus e o levaste em teu seio durante nove meses, sentindo-O palpitar e crescer dentro de ti, experimentando a presença d’Ele e sendo transformada por Ele.

Nestes dias que antecedem o nascimento de teu Filho, nós queremos acompanhar-te; queremos estar contigo e aprender de ti a levar Deus no coração e nos deixarmos transformar por Tua presença.

Maria, Virgem Grávida, pedimos-te que, ao acompanhar-te, sejas tu quem interceda por cada um de nós, para que possamos celebrar o Natal cheios da presença de teu Filho em nossa vida. Maria, Virgem Mãe, mulher da espera confiada, pede por nós para que, neste Natal, todos possamos ficar mais perto de seu Filho e, assim, sermos capazes de recomeçar, de perdoar e ser perdoados, de voltar a amar, e ser curados interiormente para celebrar e viver a vida de Deus em nós.

Maria, Virgem do ‘sim’ e da realização, Virgem Mãe do silêncio eloquente, ajuda-no a celebrar este Natal, tendo teu Filho como centro de nossa vida. Maria, pede por nós, agora e sempre.

Que assim seja.

Leitura: Mateus 01, 18-24

Aprofundar no texto. Ler várias vezes, saborear a palavra. Ver a atitude de José, seu conflito interno, seus interesses, sua busca e sua docilidade.

Contemplação

É buscar apropriar-se do texto, não olhá-lo com expectador, mas ser participante da cena. Ter uma relação pessoal e direta com os personagens. Usar a imaginação para conhecê-los e aprofundá-los interiormente.

Oração: José, surpreende e comove-nos a tua atitude nesse momento tão difícil para ti, quando, conhecendo Maria, sabendo quem ela era, lhe sucedia algo que tu não entendias, algo que para ti era inconcebível: como podia ela, tua prometida, ter te traído? Nesse momento, em vez de denunciá-la, porque era impossível que ela tivesse te enganado, decidiste arcar com toda a culpa e desaparecer, assumir toda a responsabilidade e ser tu quem pareceria como o irresponsável. Preferiste isto a fazer algo contra aquela mulher que esperavas como esposa, mas que agora estava esperando um filho de alguém que tu não conhecias. José, bendita seja a tua delicadeza, tua nobreza, teu coração grande e sensível, por ser tão homem, tão digno, tão respeitoso a ti mesmo e à Maria. Bendito seja por ter preferido sofrer as consequências do que prejudicar Maria; bendito seja por tua dignidade de homem. E por outro lado, José, ajuda os muitos casais que tem problemas, ajuda os que não sabem dialogar e encontrar a solução a dois. Ajuda, José, para que haja paz e harmonia nas famílias.

Oração: Menino Jesus, Tua mãe, que Te concebeu por obra do Espírito Santo, levou-Te dentro dela com todo amor, mas isso ocasionou que José, Teu protetor, se sentisse ferido por esta situação, e ante à incompreensão, preferiu abandoná-la. Menino Jesus, neste tempo em preparação para o Teu nascimento, pedimos que derrames Tua benção sobre os casais que estão em dificuldades; ajuda-os para que saibam conversar, escutar ao outro, que deem espaço para o diálogo e o perdão. Menino Jesus, derrama Tua graça sobre essas pessoas para que voltem a se querer como fizeram no início e agora se queiram mais tendo a Ti.

Que assim seja!

Oração Final

José, homem justo e digno, homem respeitoso de si mesmo e de Maria, tu que tens deixado ser guiado pelo Espírito Santo, olha e ajuda a todos os casais que vivem em dificuldades e incompreendidos, que são incapazes de escutar e compreender ao outro, que não encontram saída a seus problemas, que estão sofrendo e lhes sangram o coração. Tu, José, que viveste uma situação algo parecido, intercede por elas, acompanhe-as, fortalece-as, para que saibam se dar uma oportunidade, para que possam se escutar, e se abrir ao outro, para que possam atuar com o coração de Deus, para acertar, compreender e perdoar, para buscar entre os dois o caminho de saída, para que, iluminados pelo Espírito Santo, e sendo dócil à Tua ação, possam olhar à frente, perdoar-se, esquecer e, assim, começar novamente uma nova vida, mais unidos, mais maduros, mais entregues, tendo Jesus no centro de suas vidas. José, que as famílias que estão em conflito, sob tua intercessão possam voltar a querer-se e serem felizes, como foram vocês em Nazaré. José, hoje e sempre, peço pelos casais em conflito e que, por tua intercessão, tenham a paz e a alegria que vem do Senhor.

Canção Nova / Pastoral da Comunicação da Paróquia de Sant'Ana - http://matrizdesantana.blogspot.com.br/

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Novena de Natal - 2º Dia

Introdução

Neste segundo dia da Novena de Natal, a liturgia nos apresenta o relato da genealogia do Senhor Jesus. Um texto que, se o olharmos sem atenção, são apenas nomes que desconhecemos. Mas se descobrirmos o sentido desses nomes, o significado que tem na história de Israel, veremos que São Mateus nos situa no centro da história de Israel e nela Jesus, que nasceu da Maria Virgem.

Neste dia, aproveitemos para valorizar o que significa ter uma família, pessoas que nos deram a vida, um apelido, um lar, o carinho e o afeto.


Segundo dia
Motivação:

:: Neste segundo dia da novena de Natal, continue preparando o presépio. Depois de ter colocado a imagem de Maria Virgem, coloque a imagem de São José.

:: Que cada um faça uma oração a José e Maria, pedindo sua intercessão e sua ajuda por cada família, pedindo que nossa família tenha os mesmos sentimentos que tiveram eles. Pedir-lhes que nos preparem para o Natal.

:: Fazer algum gesto ou atitude concreta durante o dia, aproximando-se de alguma família que um sabe que há dificuldades e buscar ser vínculo de união e comunicação. Fazer o que se pode para ajudar aos que estão em dificuldades.

Oração Inicial

:: Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém!

Maria, Virgem Grávida, Mulher de Deus, Virgem do ‘sim’ fecundo, tu que fecundaste ao Verbo de Deus e o levaste em teu seio durante nove meses, sentindo-o palpitar e crescer dentro de ti, experimentando Sua presença e sendo transformada por Ele.

Nestes dias que antecedem o nascimento de teu Filho, nós queremos acompanhar-te; queremos estar contigo para aprender de ti a levar Deus no coração e deixarmo-nos transformar por Sua presença.

Maria, Virgem Grávida, pedimos-te que, ao acompanhar-te, sejas tu quem interceda por cada um de nós, para que possamos celebrar o Natal cheios da presença de teu Filho em nossa vida. Maria, Virgem Mãe, mulher da espera confiada, pede por nós para que, neste Natal, todos possamos ficar mais perto de seu Filho e, assim, sermos capazes de recomeçar, de perdoar e ser perdoados, de voltar a amar e ser curados interiormente, para celebrar e viver a vida de Deus em nós.

Maria, Virgem do ‘sim’ e da realização, Virgem Mãe do silêncio eloquente, ajuda-no a celebrar este Natal, tendo seu Filho centro de nossa vida. Maria, pede por nós agora e sempre.

Que assim seja.

Leitura: Mateus 1,1-17

Aprofundar o Evangelho, ter em conta o fim da genealogia e seu significado. Dê um passo a mais, não somente conhecer o que disse o texto, mas o aprofundar, buscar o sentido do que se diz, a importância e transcendência do dito. Atualizá-lo e aplicá-lo à vida.

Contemplação

É buscar apropriar-se do texto, não olhá-lo como espectador, mas ser participante da cena. Ter uma relação pessoal e direta com os personagens, usar a imaginação para conhecer e aprofundá-lo interiormente.

Oração: Senhor Jesus, Mateus Te coloca no coração de toda a revelação, situa-Te no contexto das grandes promessas que cruzam todo o Antigo Testamento. Por um lado, o fato de chamar-te Filho de Davi, para demonstrar que em Ti se cumpria todas as promessas que o Pai havia feito a Davi, como portador da promessa messiânica, por isso lhe chama de Jesus Cristo (cf. Mt 1,1) e depois diz também te chamaram o Cristo (cf. Mt 1,16) e, além, chamaram-Te Filho de Abraão (cf. Mt 1,1), colocando-Te no contexto das promessas que haviam feito a Abraão, de ser pai de um povo numeroso como as estrelas do céu e como a areia do mar. Senhor, obrigado por seres quem és. Obrigado por incluir a cada um de nós nesta dinâmica da revelação de Deus. Obrigado por nos permitir ter fé e, assim, conhecer-Te, aprender a arte de viver de acordo com o projeto do Pai e ter a vida que Tu nos dá. Obrigado, Senhor.

Senhor Jesus, Tu que foste descendente de Davi por medo de José, em Ti o Pai realizou toda a expectativa messiânica, e com isso foste Tu nosso salvador e redentor. Hoje, quando nos preparamos para celebrar Teu nascimento, pedimos que nos ajudes a valorizar o que significa Teu nascimento, a darmos conta do amor do Pai ao enviar-Te para dar-nos a vida. Senhor, que durante estes dias antes do Natal, possamos conhecer-te mais, que cada vez aprofundemos mais e mais no amor que Tu tens por nós.

Que assim seja.

Oração: Maria, Mãe minha, nestes dias que estamos buscando entrar no clima da Natal, te pedimos ajuda para que tu intercedas por nós, para que, ao celebrar o nascimento de Teu Filho, nosso Senhor, cada um de nós nos sensibilizemos mais e mais do amor do Pai por nós, da importância do que fez Jesus, dignificando nossa vida com a tua. Intercede por nós, para que, neste Natal, nos aproximemos mais de teu Filho.

Oração Final

Menino Jesus, Tu és descendente de Davi, de Abraão, o Filho de Maria Virgem; Tu tens assumido a nossa história, formando parte dela. Tu, na plenitude dos tempos, quiseste nascer de uma mulher e ser um de nós, para nos demonstrar o grande e lindo valor que é ter uma Mãe, uma família, pessoas do mesmo sangue, com quem partilhar a vida, sendo queridos e apoiados, crescendo como pessoas para termos sentimentos de unidade, carinho e afeto, de solidariedade e compreensão, imitando a Tua família.

Menino Jesus, Tu que tiveste uma família, abençoa a nossa e faz que nela os pais tenham sentimentos de entrega de amor e carinho, de interesse e sensibilidade, que se queiram e vivam um para o outro, e que os filhos sintam em todo momento o amor que Tu nos tem por meio do amor dos pais. Menino Jesus, abençoa cada família e encha-as de amor e ternura, como o tiveste Tu de tua Mãe e de José.

Canção Nova / Pastoral da Comunicação da Paróquia de Sant'Ana - http://matrizdesantana.blogspot.com.br/