sábado, 27 de agosto de 2016

Dia do Catequista

Nas Paróquias, nas Comunidades urbanas ou rurais há homens e mulheres vivendo e anunciando o Evangelho para crianças, jovens e adultos, e que nas mais diversas situações, às vezes, com muitas dificuldades, reúnem um pequeno grupo de pessoas para lerem a Palavra de Deus e colocá-la em prática.


Temos, hoje, a consciência muito clara de que a catequese deve transformar as pessoas e a sociedade. Precisa atingir não só as crianças e adolescentes, mas também as famílias e, principalmente, os adultos.

Precisamos lembrar que a Eucaristia está no centro de nossa existência. É nela que celebramos o mistério central de nossa fé: a morte e a ressurreição de Jesus. Toda a catequese deve levar a transformar a nossa vida no Mistério Pascal. Morrendo com Jesus, viveremos também com Ele.

Ser catequista é ser capaz de ler a presença de Deus nas atividades humanas, é viver a experiência de descobrir o rosto de Deus, também nas realidades do mundo. É olhar o mundo com os mesmos olhos com que Jesus contemplava o povo de sua época.

Ser catequista é ser uma pessoa de espiritualidade e santidade. É colocar-se na escola do Mestre Jesus e fazer com Ele uma profunda experiência de vida e de fé. Ser catequista é vocação e missão. É um dom de Deus, mas que requer nossa resposta e nosso compromisso. É óbvio e nem se discute, então, que é necessário preparar-se continuamente, formar-se, para ser competente e dar testemunho.

O catequista é uma pessoa que busca constantemente cultivar sua formação. Somos eternos discípulos da vida e da fé. Ser catequista é ser pessoa de comunicação, capaz de boas relações entre as pessoas, para construir comunhão.

Oração do Catequista

Senhor, chamaste-me a ser Catequista na Tua Igreja e na minha Paróquia. Confiaste-me a missão de anunciar a Tua Palavra, de denunciar o pecado, de testemunhar, com a minha vida, os valores do Evangelho. É pesada, Senhor, a minha responsabilidade, mas confio na Tua graça. Faz-me Teu instrumento para que venha o Teu Reino, Reino de amor e de Paz, de Fraternidade e Justiça. Amém!

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

A missão do catequista

Quando se fala em catequese, muitos pensam naquela que prepara as crianças para a Primeira Eucaristia ou a Crisma. Engana-se quem acha que catequese é o mesmo que “dar catecismo”, pois ela faz parte da ação evangelizadora da Igreja que envolve aqueles que aderem a Jesus Cristo. Catequese é o ensinamento essencial da fé, não apenas da doutrina, como também da vida, levando a uma consciente e ativa participação do mistério litúrgico e irradiando uma ação apostólica. Segundo o documento de Puebla e a afirmação dos Bispos do Brasil, a catequese é um processo de educação da fé em comunidade, é dinâmica, é sistemática e permanente.


São João Paulo II disse: “A catequese é uma educação da fé das crianças, dos jovens e dos adultos, a qual compreende especialmente um ensino da doutrina cristã, dado em geral de maneira orgânica e sistemática, com fim de iniciá-los na plenitude da vida cristã” (CT). Segundo o Novo Catecismo da Igreja Católica (1992), “no centro da catequese encontramos essencialmente uma Pessoa, a de Jesus Cristo de Nazaré, Filho único do Pai…”

A finalidade definitiva da catequese é levar à comunhão com Jesus Cristo: só Ele pode conduzir ao amor do Pai no Espírito e fazer-nos participar da vida da Santíssima Trindade. Todo catequista deveria poder aplicar a si mesmo a misteriosa palavra de Jesus: ‘Minha doutrina não é minha, mas daquele que me enviou’ (Jo 7,16)” (NCIC, 426-427).

Em sua origem, o termo “CATEQUESE” diz respeito à proclamação da Palavra. O termo se liga a um verbo que significa “Fazer”, “Ecoar” (gr. Kat-ekhéo). Assim, a ela tem por objetivo último fazer escutar e repercutir a Palavra de Deus. A catequese faz parte da ação evangelizadora da Igreja que envolve aqueles que aderem a Jesus Cristo. Catequese é o ensinamento essencial da fé, não apenas da doutrina como também da vida, levando a uma consciente e ativa participação do mistério litúrgico e irradiando uma ação apostólica.

Todo cristão que aceita Cristo por inteiro é o verdadeiro balizado; ele é responsável em anunciar a Palavra de Deus, a começar por si próprio e pela família. Para tanto, tem uma maturidade cristã de fé e de amor ao próximo e à Igreja.

A missão do catequista é mais do que passar as regras, a doutrina, é promover entre a Pessoa de Jesus e o catequizando um encontro pessoal. A verdadeira catequese promove um encontro com Jesus.

Oração do Catequista: Concedei-me, Senhor, o dom da sabedoria que provém do vosso Santo Espírito. Daí-me o entendimento de vossa verdade para que eu possa vivê-la e comunicá-la a tantas pessoas que desejam conhecê-la. Iluminai-me com a luz da verdadeira fé para que eu possa transmiti-la aos corações sedentos de autenticidade. Jesus, Mestre Divino, que formastes os apóstolos segundo os princípios do vosso Evangelho, conduzi-me sempre pelos caminhos de vossa verdadeira ciência. Ajudai-me, Senhor, a assumir o compromisso de minha missão de catequista e fazei que eu me torne capaz de orientar muitos outros no caminho da verdadeira felicidade. Que eu me deixe envolver profundamente pelo amor do Pai e possa comunicar esse amor aos meus irmãos e irmãs. Amém!

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Misericórdia sem fronteiras: Esperança chega através de donativos para família das trigêmeas Aline, Alice e Amanda

Família oroboense recebe visita solidária dos membros da Pastoral da Acolhida da Paróquia de Sant’Ana, de Bom Jardim

Após a repercussão na rede social Facebook do caso conhecido como “As Trigêmeas de Orobó”, a Paróquia de Sant’Ana, através da Pastoral da Acolhida, referência em promover ações que beneficiam os menos favorecidos, realizou na manhã do último domingo (21), dia em que a Igreja celebrou a Festa da Assunção de Nossa Senhora, a entrega de donativos (fraldas, pacotes de leite e alimentos) à família que comoveu a todos com a sua difícil realidade.


A ação solidária, coordenada por Silvânia Andrade, Mayara Sarinho e Bruno Araújo, ao visitar a residência da família, situada na comunidade de Figueiras, zona rural do município de Orobó, no Agreste pernambucano, reafirmou o compromisso pastoral de promover assistência aos menos favorecidos, através de campanhas de mobilização social e evangelização comunitária, que garantam o bem estar físico e espiritual dos seus beneficiários; conforme propõe o Ano Santo da Misericórdia.

“Neste gesto concreto de amor ao próximo, o sentimento que nos invadiu só reafirmou a nossa missão: a de poder atravessar fronteiras, de poder romper barreiras, para ser a voz do Senhor. É isso que Ele sempre espera de cada um de nós. Esta experiência nos fez acreditar, ainda mais, que devemos levar a esperança, o amor, a misericórdia aonde o Senhor nos enviar, para que todos possam desfrutar da Sua graça, e acreditar que Ele está sempre conosco”, frisou Silvânia Andrade, coordenadora da Pastoral da Acolhida.